Pré-diabetes? hora de ligar o sinal de alerta!

Pré-diabetes é uma alteração do metabolismo que pode evoluir para diabetes tipo 2 e doenças cardíacas. Acontece quando os níveis de glicemia (açúcar no sangue) são mais elevados do que o normal, mas não são altos, suficientemente, para dar o diagnóstico de diabetes.

Esse alerta do corpo é importante por ser a única etapa do diabetes que ainda pode ser revertida, prevenindo a evolução da doença e o aparecimento de complicações, incluindo o infarto.

A Federação Internacional de Diabetes estima que havia 14,6 milhões de brasileiros com pré-diabetes diante de 12,5 milhões de diabéticos em idade adulta no ano de 2018. Isso quer dizer que o número de pré-diabéticos superou o de pessoas com diabetes em nosso país.

No entanto, 50% dos pacientes que têm o diagnóstico de pré-diabetes, mesmo com as devidas orientações médicas, desenvolvem a doença.

Principais fatores de risco para que uma pessoa tenha alterações na glicemia:
idade de 45 anos ou mais;
ter parentes com diabetes;
estar acima do peso e com acúmulo de gordura no abdômen;
sedentarismo (não praticar exercícios ou atividades físicas);
ter pressão alta (Hipertensão Arterial), mesmo que controlada com medicamentos;
ter alterações das gorduras no sangue (níveis baixos de colesterol HDL e/ou triglicérides elevados);
mulher que teve diabetes durante a gravidez;
tenha sido diagnosticada com Síndrome do Ovário Policístico (SOP).

É possível se cuidar para prevenir ou adiar o máximo possível o diagnóstico de diabetes tipo 2. Sem mudanças nos seus hábitos existe uma chance grande de que o pré-diabetes evolua para diabetes dentro de três a 10 anos. Algumas atitudes podem diminuir esse risco, veja abaixo:

 Perda de peso. Mesmo você não alcançando o peso ideal, perder 5 a 9 kg pode trazer benefícios para a sua saúde.

 Alimentação saudável. Escolha alimentos que são baixos em gordura saturada e calorias e ricos em fibras, como vegetais, frutas e grãos integrais.

 Praticar exercícios/atividades físicas. Incorpore em sua rotina algo entre 30 a 50 minutos de atividade física moderada como caminhar, dançar, passear com o cachorro; na maioria dos dias da semana. Faça no mínimo 150 minutos por semana, por exemplo, 30 minutos em 5 dias da semana ou 50 minutos em 3 dias.

 

Gostou dessa matéria? Então confira outras matérias que separamos para você.

Obesidade: causas, sintomas, tipos, tratamento e como se prevenir
ENDOCARDITE: O que é isso?

Brotoeja: o que é, sintomas e tratamentos

SEPSE: diagnóstico precoce é fundamental para tratar a doença
Fique ligado! Fascite plantar é uma das principais causas de dores no pé.

Marque sua consulta