Hérnia Umbilical: o que é, causas, sintomas e tratamento

Hérnia umbilical é um deslocamento anormal de tecido pela parede abdominal atrás do umbigo. Esse tipo de hérnia se desenvolve quando uma porção do revestimento do abdômen, de parte do intestino e/ou fluido do abdômen se acumula através do músculo da parede abdominal.

Comum em bebês, a hérnia surge exatamente no local da cicatriz umbilical, geralmente, quando uma alça intestinal atravessa o tecido muscular.

A hérnia umbilical é mais frequente na criança. Algumas estimativas referem que cerca de 10 a 20% de todos os bebês apresentem hérnia umbilical.  Apesar de menos frequente do que na criança, este tipo de hérnia também afeta os adultos de qualquer idade, sendo mais frequente no sexo feminino do que no masculino.

A maioria das hérnias umbilicais encerra até ao final do primeiro ano de vida do bebé. Contudo, existem casos que demoram mais e que exigem tratamento cirúrgico.

Causas
Não se sabe ao certo porque a hérnia umbilical se forma sem crianças. Em adultos, muita pressão abdominal pode causar uma hérnia umbilical. As possíveis causas em adultos incluem:
•             Obesidade
•           Gestações múltiplas
•           Líquido na cavidade abdominal (ascite)
•           Cirurgia abdominal anterior.
•           Pessoas que trabalham carregando excesso de peso
•           Praticantes de atividades físicas de alta intensidade
•           Fumantes

Sintomas
Tanto adultos quanto crianças manifestam os mesmos sinais. O mais comum é que a hérnia seja notada pela saliência indolor e maleável em volta do umbigo, que pode ser empurrada à depressão abdominal ao ser pressionada. Em alguns casos, só é possível percebê-la quando a pessoa faz esforço ao levantar peso ou ao tossir.

Diagnóstico
A hérnia umbilical é diagnosticada pelo exame médico. Às vezes são usados exames de imagem, tais como a ecografia abdominal ou raio-X abdominal para rastreio de complicações.
Tratamento
Crianças: A maioria das hérnias umbilicais na criança acaba por encerrar naturalmente até aos 18 meses de idade, podendo em, alguns casos, encerrar de forma mais tardia. Se não ocorrer o encerramento até aos 3 anos de idade, se ocorrer dor, se a hérnia ultrapassar os 1,5cm de diâmetro ou existir o risco de encarceramento ou estrangulamento, então deve ser considerado tratamento cirúrgico.

Nos adultos, o tratamento cirúrgico permite resolver o problema e deste modo evitar possíveis complicações.

 

Gostou dessa matéria? Então confira outras matérias que separamos para você.

Pré-diabetes: Hora de ligar o sinal de alerta
Obesidade: causas, sintomas, tipos, tratamento e como se prevenir

ENDOCARDITE: O que é isso?

Brotoeja: o que é, sintomas e tratamentos

SEPSE: diagnóstico precoce é fundamental para tratar a doença

Marque sua consulta