Você sabe o que é alopécia?

hair loss

Alopecia é a perda de cabelo em áreas em que normalmente ele deveria crescer. É um problema que acomete homens e mulheres, podendo ser causado por influências genéticas, processos inflamatórios locais ou doenças sistêmicas

Nesta doença, o cabelo cai em grandes quantidades em determinadas áreas, proporcionando a visualização do couro cabeludo ou da pele que antes era coberta por cabelos ou pelos corporais.

Tipos de alopécia
Existem vários tipos de alopécia porque suas causas são diferentes. Os principais tipos de alopécia são:
Alopécia areata: causada por fatores autoimunes ou sistema emocional abalado, caracterizada por intensa queda de cabelo em determinadas áreas.
Androgenética: também chamada de calvície, é causada por fatores genéticos, associados à taxa de testosterona na corrente sanguínea, e por isso é mais frequente nos homens;
Traumática: causada pelo fato do indivíduo ter o hábito de arrancar os fios de cabelos constantemente ou por traumatismos na cabeça;
Alopecia total (totalis): essa condição faz com que aconteça a perda de todos os fios de cabelo, mas as outras partes do corpo que contêm pelos não sofrem alteração alguma. Geralmente, é causada por herança genética mas, em alguns casos, tem fundo emocional.
Alopecia universal (universalis): essa é uma versão mais grave da alopecia total, em que além dos fios de cabelo, a pessoa perde também todos os pelos do corpo, incluindo sobrancelhas, cílios e pelos pubianos.
Seborreica: causada por uma dermatite, que pode ser tratada com o uso de medicamentos;
Eflúvio: o eflúvio é um período normal em que o cabelo cai naturalmente, mas quando este mecanismo encontra-se desregulado, pode haver um período maior de queda de cabelo, que geralmente responde bem aos tratamentos clínicos.

Além disso, a alopecia pode acontecer como consequência do uso de medicamentos, como por exemplo, os medicamentos utilizados no tratamento para o câncer.

 Quais as causas da Alopécia?

A alopecia pode ocorrer por vários fatores, são eles:
– Uso de medicamentos;
– Estresse;
– Produtos químicos;
– Doenças e condições subjacentes;
– Reação hormonal pós-parto;
– Má alimentação;
– Herança genética;
– Menopausa;
– Tricotilomania.

Fatores de risco para a queda de cabelo
Há fatores que podem influenciar para que ocorra um quadro de alopecia, são eles:
– Histórico familiar de calvície;
– Idade;
– Perda de peso significativa;
– Outras doenças, como diabetes e lúpus;
– Estresse;
– Gravidez;
– Excesso de vitamina A;
– Falta de proteínas e alguns minerais;
– Disfunções hormonais;
– Deficiência de vitamina B12.

Qual a diferença entre alopecia areata e a queda de cabelo comum?
A diferença entre ambos é que a alopecia areata tem relação com outras doenças e, em alguns casos, não há cura. Já a queda de cabelo comum, ocorre devido a alguma situação pontual (como estresse e pós-parto).

Geralmente a alopecia areata causa a perda de cabelo em várias partes do couro cabeludo, no formato e tamanho de uma moeda grande. O cabelo não volta a crescer naturalmente nestes casos. Por outro lado, na queda de cabelo comum geralmente os fios voltam a ficar grossos e saudáveis em pouco tempo.

Sinais de alopécia
O principal sinal indicativo de alopecia é a perda de mais de 100 fios de cabelos por dia, podendo ser percebido ao encontrar muitos fios de cabelo no travesseiro quando acorda, quando se lava ou penteia ou cabelo ou quando se passa a mão pelos cabelos.

Além disso, a queda dos fios pode ser percebida quando é possível visualizar facilmente o couro cabeludo em algumas áreas da cabeça.

 Diagnóstico
O diagnóstico pode ser feito pela simples aparência das áreas sem cabelo. Em certos casos, há necessidade de fazer biópsia da pele afetada para afastar outras possíveis causas de alopecia.

Um teste simples ajuda a identificar os casos de alopecia e a diferenciá-los de outros tipos de queda de cabelo: consiste em simplesmente puxar, com delicadeza, um tufo de cerca de 60 fios de cabelos situados às margens da área pelada. O teste é considerado positivo quando pelo menos 6 fios são arrancados pela raiz.

 

Gostou dessa matéria? Então confira outras matérias que separamos para você.
Colesterol: mocinho ou vilão
Você sabe o que é câncer de orofaringe

Doenças renais: conheça os cinco tipos mais comuns

Embolia pulmonar: você sabe o que é?

Marque sua consulta