Junho Laranja – Um alerta para o diagnóstico precoce de Anemia e Leucemia

A campanha Junho Laranja é dedicada ao diagnóstico, prevenção e tratamento da anemia e da leucemia, que podem acometer crianças e adultos.

A Leucemia é um tipo de câncer que ocorre no sangue, quando alguns glóbulos brancos, conhecido como leucócitos, responsáveis por combater infecções, perdem a função de proteger e são produzidos de maneira descontrolada, sendo acumulados na medula óssea, substituindo os glóbulos saudáveis. Sua origem é desconhecida, e pode ser dividida em subtipos:

  • Leucemia mieloide aguda (LMA): avança de forma rápida, podendo atingir adultos e crianças, com maior incidência com o aumento da idade;
  • Leucemia mieloide crônica (LMC): afetam as células mieloides e são chamadas mieloide ou mieloblástica, acometendo adultos e, no início, desenvolve-se mais lentamente;
  • Leucemia linfocítica aguda (LLA): se agrava rapidamente e é um tipo bem comum em crianças;
  • Leucemia linfocítica crônica (LLC): afeta as células linfoides são chamadas de linfoide, linfocítica ou linfoblástica, atingindo pessoas com mais de 55 anos e também se desenvolve de maneira lenta.

Os sintomas mais comuns são:

  • Fadiga;
  • Fraqueza;
  • Perda de peso;
  • Dor óssea;
  • Sangramentos;
  • Manchas vermelhas na pele;
  • Gânglios inchados, especialmente no pescoço e na axila.

O diagnóstico é feito através de exames como: hemograma, tomografia computadorizada ou mielograma e até uma biópsia da medula, se houver necessidade.

O tratamento depende do tipo e do estágio da doença, entretanto as terapias envolvem quimioterapia, radioterapia, transplante de células-tronco/ medula óssea ou inibidores ou terapia alvo.

A Anemia é caracterizada pela diminuição dos glóbulos vermelhos no sangue ou pela concentração de hemoglobina dentro deles menor que o normal.

A hemoglobina é responsável por transportar oxigênio, quando há poucos glóbulos vermelhos ou não houver hemoglobina suficiente, a capacidade de transportar sangue para os tecidos do corpo é diminuída.

A Anemia afeta particularmente crianças pequenas e mulheres grávidas. As causas mais comuns incluem deficiências nutricionais, como: falta de ferro e vitaminas B12 e A; hemogloblinopatias, grupo de doenças em que ocorre uma falha na produção da hemoglobina e doenças infecciosas, como: malária, tuberculose, HIV e infecções parasitárias.

Os principais sintomas são:

  • Cansaço;
  • Fraqueza;
  • Tontura;
  • Falta de ar.

Todos nós podemos contribuir para combater ambas as doenças. Ser doador de medula óssea pode salvar vidas!

Para ser um doador de medula óssea:

  • Procure o hemocentro do seu estado e agende uma consulta de esclarecimento ou palestra sobre doação de medula óssea;
  • O voluntário irá assinar um termo de consentimento livre e esclarecido (TCLE), e preencher uma ficha com informações pessoais. Será retirada uma pequena quantidade de sangue (10ml) do candidato a doador. É necessário apresentar o documento de identidade;
  • O seu sangue será analisado para identificar suas características genéticas que vão ser cruzadas com os dados de pacientes que necessitam de transplantes para determinar a compatibilidade;
  • Os seus dados pessoais e o tipo de HLA serão incluídos no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME);
  • Quando houver um paciente com possível compatibilidade, você será consultado para decidir quanto à doação. Por este motivo, é necessário manter os dados sempre atualizados;
  • Para seguir com o processo de doação serão necessários outros exames para confirmar a compatibilidade e uma avaliação clínica de saúde;
  • Somente após todas estas etapas concluídas o doador poderá ser considerado apto e realizar a doação.

 

Marque sua consulta