Amigdalite: conheça a doença que afetas crianças e adultos

A amigdalite corresponde à inflamação das amígdalas, que são gânglios linfáticos presentes no fundo da garganta e que têm como função defender o organismo contra infecções bacterianas e virais.

De acordo com a causa e duração dos sintomas, a amigdalite pode ser classificada em:

Amigdalite bacteriana
Causada pela infecção de bactérias, a manifestação mais comum dessa forma da doença é a amigdalite estreptocócica é causada pela bactéria Streptococcus pyogenes, mais conhecida como estreptococo do grupo A. As amigdalites bacterianas exigem um tratamento mais específico, com antibióticos.

Amigdalite viral
A amigdalite viral é o tipo mais comum, sendo causada pela infecção de vírus nas amígdalas. Para essa manifestação da doença, o tratamento pode ser feito em casa à base de medicamentos e cuidados simples.

Amigdalite crônica
A amigdalite crônica são infecções recorrentes, causando dor de garganta crônica, mau hálito e nódulos cervicais persistentes. Neste tipo, podem acontecer até sete episódios de amigdalite em um ano.

Amigdalite aguda
Apesar do tratamento, a amigdalite aguda durar até duas semanas ou mais. A amigdalite aguda causa a obstrução das vias aéreas devido a amígdalas inchadas, ocasionando na dificuldades na respiração, ronco e apneia do sono.

Os sintomas mais comuns da amigdalite são:
– Dor de garganta;
– Disfagia ou odinofagia (que é a dificuldade e a dor ao comer);
– Febre;
– Gânglios submandibulares aumentados e dolorosos (ínguas que estarão aumentadas e dolorosas em baixo do queixo e no pescoço);
– Dor no corpo;
– Mau Hálito;
– Coriza;
– Pus nas amígdalas;
– Rouquidão.

O portador da doença também pode apresentar dor de cabeça, alteração da voz, dor abdominal, náuseas e vômitos, entre outros.

Fatores de risco
– A amigdalite, especialmente a do tipo viral, é mais comum em crianças, cuja imunidade ainda não está muito bem desenvolvida.
– Refluxo gastroesofágico
– Tabagismo e fumo passivo
– Ambientes com ar-condicionado
– Aglomerações em lugares fechados e não ventilados
– Propensão e tamanho das amígdalas (algumas amígdalas, em geral volumosas, são mais suscetíveis a infecções)

Formas de transmissão:
A amigdalite é contagiosa, principalmente quando se trata de amigdalite viral. A transmissão da amigdalite ocorre pelo contato direto com gotículas de saliva da pessoa contaminada, principalmente quando a saúde da pessoa encontra-se enfraquecida como ocorre no caso de bebê e idosos, e por isso estes devem manter distâncias dos contaminados

Para evitar a transmissão da doença, é aconselhado:

  • Tossir sempre com um lenço na boca ou colocar o antebraço na frente da boca quando for tossir;
  • Lavar bem as mãos;
  • Não compartilhar toalhas, pratos, copos e talheres, por exemplo.

O Hospital São Matheus conta com clínicos gerais e otorrinolaringologistas realizando atendimentos (particulares e convênios) no centro médico. Agende sua consulta. 2156-5480.

Marque sua consulta