Vírus Mayaro: sintomas, transmissão, prevenção e tratamento

A Febre do Mayaro é uma doença infecciosa febril aguda causada por um arbovírus (mosquitos), assim como Dengue, Zika e Chikungunya.

A febre do Mayaro é uma doença silvestre transmitida por mosquitos, especialmente pelas picadas do Haemagogus janthinomys, que também transmite a febre amarela. Outros mosquitos como o pernilongo comum (Culex) e o Aedes aegypti também podem transmitir o vírus.

De hábitos diurnos (o período de maior atividade é entre nove e dezesseis horas), o Haemagogus janthinomys, principal transmissor, habita a copa das árvores e a vegetação de áreas úmidas próximas aos rios.

Transmissão
O ciclo é muito parecido com o da febre amarela. Ou seja, um mosquito com o vírus Mayaro infecta um ser humano ou um macaco. Esses hospedeiros, então, contribuem para a disseminação da doença, uma vez que outro inseto pode picá-los, receber o vírus e passá-lo pra frente.

Sintomas
Após a picada do mosquito infectado, os sintomas iniciam geralmente de 1 a 3 dias após a infecção. Esse tempo pode variar de pessoa a pessoa, dependendo da imunidade individual, quantidade de partículas virais inoculadas e cepa viral, entre de outros fatores. Os principais são:

Febre de início abrupto, mas de curta duração (dois ou três dias);
Calafrios;
Dor de cabeça (cefaleia);
Manchas vermelhas na pele (exantema);
Dores musculares (mialgia);
Linfonodos inguinais;
Fotofobia;
Náuseas;
Tontura.
Dores nas articulações (artralgia), associadas ou não a inchaço (edema), podem persistir por meses e tornarem-se incapacitantes.

Tratamento
Como seus sintomas se parecem com os da febre amarela, da dengue e, principalmente, do chikungunya, é comum haver uma confusão entre eles. Só exames laboratoriais são capazes de realmente distinguir entre as infecções.

Como as doenças mencionadas não possuem tratamento específico, os médicos controlam os sintomas, avaliam a evolução do quadro e esperam o próprio organismo reagir à presença do vírus Mayaro.

Prevenção
Considerando que atualmente não existem vacinas disponíveis no mercado, a única forma de minimizar o risco da febre de Mayaro é evitar exposição com corpo desprotegido em locais de mata e beira de rios, principalmente nos horários de maior atividade do vetor (entre 9 e 16 horas).

Marque sua consulta