Infarto em jovens: por que costuma ser fatal e como evitar

Até pouco tempo os infartos eram associados a pessoas que apresentavam baixa qualidade de vida e saúde, e também como algo mais comum em idosos ou pessoas de idade mais avançada. Entretanto, são cada vez mais comuns os casos de infarto fulminante em jovens e adultos com até 30 anos.

O número de jovens vítimas de infarto só cresce. Segundo o Ministério da Saúde, de 2013 pra cá os episódios de infarto entre adultos com até 30 anos subiram 13%. Isso reflete o aumento de hábitos não saudáveis que colocam em risco a vida de pessoas nessa faixa etária.

O aspecto mais agravante é que, na população jovem, o infarto miocárdico costuma ser fulminante, ou seja, mata nas primeiras horas, sem muitas possibilidades de salvamento ou tratamento complementar.

Isso acontece porque as placas de gordura mais novas oferecem mais risco. A placa “mole” racha com facilidade e faz com que a artéria fique obstruída pelos coágulos de sangue. O entupimento provoca o infarto.

Como identificar o infarto em jovens
Os sintomas de um ataque cardíaco nos jovens são diferentes dos que acometem os mais velhos: Eles são mais exuberantes, como dor no peito irradiando para os braços, sudorese fria, mal estar, náuseas e vômitos.
O mais importante nos casos de infarto é o tempo decorrido do início dos sintomas até a desobstrução da artéria. Quanto maior esse intervalo, maiores são as chances de sequelas.

Fatores de risco para o infarto antes dos 40 anos
– Obesidade;
– Colesterol elevado;
– Má alimentação;
– Sedentarismo;
– Hipertensão;
– Tabagismo;
– Estresse.

Prevenção:
A mudança de hábitos deve ser o principal foco em uma estratégia para a prevenção do infarto entre jovens. Isso vale tanto para a prevenção primária quanto para o tratamento de quem está se recuperando de um ataque cardíaco.

Confira algumas dicas simples a serem adotadas, sempre que possível, para afastar o risco de sofrer problemas cardíacos.

– Pratique atividade física;
– Dê mais atenção às suas necessidades pessoais;
– Tenha qualidade no sono;
– Evite o estresse no trabalho;
– Alimente-se com calma;
– Mantenha os índices de colesterol e a pressão arterial sob controle;
– Abandone hábitos prejudiciais, como excesso de bebidas alcoólicas e cigarro.

O Hospital São Matheus conta

Até pouco tempo os infartos eram associados a pessoas que apresentavam baixa qualidade de vida e saúde, e também como algo mais comum em idosos ou pessoas de idade mais avançada. Entretanto, são cada vez mais comuns os casos de infarto fulminante em jovens e adultos com até 30 anos.

O número de jovens vítimas de infarto só cresce. Segundo o Ministério da Saúde, de 2013 pra cá os episódios de infarto entre adultos com até 30 anos subiram 13%. Isso reflete o aumento de hábitos não saudáveis que colocam em risco a vida de pessoas nessa faixa etária.

O aspecto mais agravante é que, na população jovem, o infarto miocárdico costuma ser fulminante, ou seja, mata nas primeiras horas, sem muitas possibilidades de salvamento ou tratamento complementar.

Isso acontece porque as placas de gordura mais novas oferecem mais risco. A placa “mole” racha com facilidade e faz com que a artéria fique obstruída pelos coágulos de sangue. O entupimento provoca o infarto.

Como identificar o infarto em jovens
Os sintomas de um ataque cardíaco nos jovens são diferentes dos que acometem os mais velhos: Eles são mais exuberantes, como dor no peito irradiando para os braços, sudorese fria, mal estar, náuseas e vômitos.
O mais importante nos casos de infarto é o tempo decorrido do início dos sintomas até a desobstrução da artéria. Quanto maior esse intervalo, maiores são as chances de sequelas.

Fatores de risco para o infarto antes dos 40 anos
– Obesidade;
– Colesterol elevado;
– Má alimentação;
– Sedentarismo;
– Hipertensão;
– Tabagismo;
– Estresse.

Prevenção:
A mudança de hábitos deve ser o principal foco em uma estratégia para a prevenção do infarto entre jovens. Isso vale tanto para a prevenção primária quanto para o tratamento de quem está se recuperando de um ataque cardíaco.

Confira algumas dicas simples a serem adotadas, sempre que possível, para afastar o risco de sofrer problemas cardíacos.

– Pratique atividade física;
– Dê mais atenção às suas necessidades pessoais;
– Tenha qualidade no sono;
– Evite o estresse no trabalho;
– Alimente-se com calma;
– Mantenha os índices de colesterol e a pressão arterial sob controle;
– Abandone hábitos prejudiciais, como excesso de bebidas alcoólicas e cigarro.

O Hospital São Matheus conta com especialistas em cardiologia realizando atendimentos (particulares e convênios) no centro médico. Agende sua consulta. 2156-5480 ou www.hospitalsaomatheus.com.br

 

Gostou dessa matéria? Então confira outros artigos que preparamos para você.
BRUXISMO: o que é e como  isso pode afetar a sua vida
Problemas na tireoide: saiba quais são as causas, os sintomas e tratamentos
Coronavírus: como evitar a ansiedade e a depressão durante o isolamento
Informativo Coronavírus

Marque sua consulta