Ceratocone: Você já ouviu falar dessa doença?

O Ceratocone é uma doença ocular não inflamatória que afeta o formato e a espessura da córnea, provocando a percepção de imagens distorcidas.

A principal característica do ceratocone é a redução na espessura na parte central da córnea e é justamente por esse motivo que ela vai ganhando o formato de um cone.

Ela se manifesta mais entre 10 e 25 anos, mas pode progredir até a quarta década de vida ou estabilizar-se com o tempo. A enfermidade atinge cerca de 150 mil pessoas por ano no Brasil e pode atingir os dois olhos de maneira assimétrica, ou seja, o distúrbio pode afetar mais um olho que o outro.

Sintomas de ceratocone
– Os principais sintomas que podem indicar que uma pessoa tem ceratocone são:
– Visão embaçada ou distorcida (para longe e/ou perto);
– Coceira nos olhos;
– Muita sensibilidade à luz/claridade;
– Visão dupla;
– Ver círculos (halos) ao redor das fontes de luz;
– Dor de cabeça.

Cada fase do ceratocone vai exigir um tratamento diferente, mas, primeiro vamos falar sobre as quatro fases dessa doença:
Primeira fase: pode ser corrigido com uso de óculos ou lentes de contato;
Segunda fase: os óculos não conseguem corrigir o problema. Aqui a pessoa tem um astigmatismo mais elevado e ela só vai conseguir uma boa visão se o seu problema for corrigido com lente de contato do tipo rígida;
Terceira fase: a córnea já possui muitas deformações, é irregular e está bastante comprometida. Nesse caso, a pessoa deve tentar se adaptar com lente gelatinosa por baixo com a finalidade de proteger a córnea. E uma lente rígida por cima, na parte mais externa, que vai efetivamente corrigir o grau;
Quarta fase: a lente já não para mais no olho ou a córnea torna-se opaca, tornando a visão deficiente. Dessa forma, o tratamento indicado é o transplante de córnea.

Tratamentos para ceratocone
Nas fases iniciais, quando a deformação da córnea não é grave, o uso de óculos é suficiente para recuperar a acuidade visual. No entanto, à medida que o ceratocone evolui, os óculos precisam ser substituídos por lentes de contato, que ajudam a ajustar a superfície anterior da córnea e a corrigir o astigmatismo irregular provocado pela deformidade.

Os tratamentos mais comuns para ceratocone são:
– Uso de lentes de grau;
– Lentes de contato;
– Cirurgia crosslinking;
– Transplante de córnea;
– Implante de anel na córnea (anel de ferrara).

Prevenções:
Ainda não se conhecem as maneiras de prevenir o aparecimento do ceratocone, uma doença de caráter genético e hereditário. No entanto, é possível controlar a evolução da doença nas pessoas geneticamente predispostas, corrigindo o hábito de coçar os olhos, tratando as atopias (rinite alérgica, certas alergias dermatológicas e asma, por exemplo) que possam causar a coceira e reavaliando as condições de adaptação e higiene das lentes de contato, se for o caso.

 

Marque sua consulta