A importância do teste do pezinho

 

Obrigatório em todo o território nacional desde 1992, o teste do pezinho, também conhecido como triagem neonatal ou rastreio neonatal é um exame de prevenção fundamental para a saúde da criança, pois garante que doenças raras sejam detectadas precocemente e o tratamento adequado iniciado o quanto antes.

Quem deve fazer o teste?
Todas as crianças recém-nascidas devem realizar o Teste do Pezinho após as primeiras 48 horas do nascimento e até o 5º dia de vida. Deve-se esperar esses dias porque algumas doenças podem não ser detectadas nas primeiras horas de vida do bebê.

Como é feito?
A coleta do exame é bem simples: basta uma gotinha de sangue retirada do calcanhar do bebê. A picadinha no pé normalmente provoca lágrimas em diversos recém-nascidos durante o exame, mas o local foi escolhido por ser uma área com muitos vasos sanguíneos, tornando-o mais simples e menos incômodo para o bebê.

O exame é feito apenas uma vez após o nascimento da criança. Caso seja detectada alguma alteração, o Teste do Pezinho deve ser repetido conforme orientação do hospital ou da equipe médica.

O exame básico atualmente identifica seis enfermidades:
Fenilcetonúria: causada pela ausência ou diminuição da atividade de uma enzima que quebra a fenilalanina em tirosina, o que pode levar a um quadro clínico de deficiência intelectual;
Hipotireoidismo congênito: decorrente da falta ou produção insuficiente de hormônios da tireoide que são essenciais para o desenvolvimento neurológico;
Deficiência de biotinidase: impede que a vitamina biotina, presente nos alimentos, seja aproveitada pelo organismo, o que interfere no desenvolvimento intelectual da criança;
Fibrose cística: doença crônica que atinge os pulmões, pâncreas e o sistema digestivo e causa secreções pulmonares e má absorção intestinal;
Anemia falciforme: causada por uma alteração na estrutura da molécula de hemoglobina e compromete o transporte de oxigênio, provocando graves prejuízos a diferentes tecidos e órgãos;
Hiperplasia adrenal congênita: afeta o funcionamento das glândulas adrenais e pode influenciar no desenvolvimento sexual de meninos e meninas e na perda de sal.

Os sintomas primários das doenças citadas, muitas vezes, demoram para aparecer, o que pode ocasionar um tratamento tardio e com poucas chances de êxito.

O teste do pezinho tem como principal propósito garantir o bom desenvolvimento e qualidade de vida dos bebês. Portanto, não deixe de fazê-lo. Além de não causar nenhum risco para seu filho, é o primeiro passo para uma vida saudável fora do útero.

Gostou dessa matéria? Então confira outras matérias que separamos para você:

Lúpus: O que é, tipos, sintomas e fatores de risco
Cirurgia Plástica: conheça os principais tipos
Trombose: O que é, sintomas, fatores de risco e como evitar
Tudo sobre Ácido Úrico: o que é, sintomas e porque pode estar alto

Marque sua consulta